A aceitação do e-commerce

A aceitação do e-commerce

Os números apontam um crescimento estimável do e-commerce e mostram que, por vários motivos, essa forma de consumo se tornou tão aceitável pelos internautas. Já é uma prática consolidada devido aos benefícios como praticidade, comodidade, agilidade proporcionada pelas compras efetuadas nas lojas virtuais.

 

Um dado importantíssimo que deve ser levado em conta é que o número de internautas está crescendo gradativamente. No ano de 2001 havia pouco mais de 1 milhão, já em 2010 os números estimados chegam a 23 milhões, um acréscimo altíssimo em um período muito breve.

 

A previsão do CEO da Amazon, uma das maiores lojas da internet do mundo, Jeff Bezos, prevê que o comércio eletrônico atingirá entre 10% a 15% do comércio americano nos próximos 10 anos, fato que, se confirmado, levará o faturamento anual do setor nos Estados Unidos a um valor superior a meio trilhão de dólares. Já no Brasil, o faturamento evoluiu de meio bilhão de reais em 2001, para mais de R$ 13 bilhões de reais em 2010. Isso representa um crescimento superior a 2.3% em apenas uma década.

 

Diversos fatores colaboraram para que o comércio eletrônico agradasse os internautas e se sobressaísse perante as lojas convencionais como, por exemplo, a variedade dos produtos encontrados na rede, comodidade e facilidade na comparação de preços em diversas lojas em curto período de tempo, possibilidade de parcelamento sem juros e condições de pagamento facilitadas, com todos esses diferenciais, o e-commerce tem conquistado, a cada dia, novos adeptos.

 

Contudo, não é mais novidade que o comércio eletrônico tem o seu espaço na internet e que uma parte do movimento da rede é derivada de acessos de compradores online. Os números mostram que o crescimento acontece e aumentam a cada ano, superando assim, todas as previsões feitas.

Comentários

Palavras-chave: