Vendas no Carnaval: como estimular?

Vendas no Carnaval: como estimular?

O feriado de Carnaval está chegando e, com ele, também a preocupação de varejistas virtuais e lojistas com as baixas nas vendas. No entanto, existem estratégias que podem estimular o fluxo de vendas no carnaval enquanto o clima festivo toma conta do país.

Planeje ações para vendas no carnaval

É importante traçar ações para atrair tanto os consumidores foliões como aqueles mais caseiros que não gostam da festa. Nesse segundo caso, o lojista pode apostar em livros, box de seriados e produtos gourmet, por exemplo. Já para os foliões, produtos como protetores solares, instrumentos musicais, fantasias, adereços, peças íntimas, preservativos, repelentes e camisetas costumam ser vendidos no carnaval.

Avalie as pesquisas por compras no carnaval

Mas, mais do que isso, é importante avaliar as palavras-chaves que os consumidores estão pesquisando nos dias que antecedem o Carnaval e trabalhá-las em e-mails marketing, campanhas e comunicações nas redes sociais (fique atento às hashtags). Layouts temáticos e o próprio visual da loja virtual, refletindo a identidade da data, também podem ajudar a atrair a atenção dos visitantes. Ou, até mesmo, pensar em pequenos detalhes, como produzir uma embalagem especial tematizada com o mote do Carnaval. Tudo isso sem deixar de garantir, claro, que a encomenda seja entregue a tempo da festa, além de zelar pelo atendimento ao cliente antes, durante e após a venda, qualquer que seja o motivo do contato, proporcionando uma experiência bem-sucedida ao consumidor nas vendas no carnaval.

Os gastos influenciam nas vendas no carnaval

Se o mês de janeiro vem carregado de impostos como IPVA e IPTU e matrículas escolares, além da fatura do cartão de crédito após as festas de fim de ano, fevereiro tradicionalmente apresenta a retomada da economia nacional. Até por isso, apostar em produtos com descontos especiais podem ser “iscas” eficientes nessa época do ano, em que as famílias estão com orçamentos apertados. Tudo isso para que a loja venda mais no carnaval e, de certa forma, equilibre o período em que o volume de acessos cai.

 

Por Ricardo Laureano Siqueira, fundador e CEO da KOIN

 

Comentários