Conheça 4 mitos que Hollywood ensinou sobre IPs

Conheça 4 mitos que Hollywood ensinou sobre IPs

Toda vez que um filme menciona tecnologia, o termo “IP” (Protocolo de Internet, ou Internet Protocol em inglês) é lançado em algum momento do diálogo. Na trama, falar em endereço de IP automaticamente classifica a personagem como alguém que “entende de computadores”. E, na maioria dos casos, é possível rastrear o IP até uma pessoa ou endereço e pegar o criminoso no flagra. Funciona que é uma maravilha… nas telas!

 

Hollywood achou uma solução fácil para amarrar a trama, e o termo acabou ficando bem conhecido no mundo “não-TI”. Só que na vida real não é bem assim.

 

Vou fazer algumas afirmações que podem te surpreender – mas não entre em pânico, eu já explico. E, ao final deste artigo, você também vai entender a ligação entre estes mitos e a detecção de fraudes em lojas virtuais.

 

– Você não tem um IP para chamar de seu
– Eu não consigo saber onde você mora olhando o seu IP (ele não é seu, lembra?)
– Eu definitivamente não consigo saber o seu nome a partir do seu IP
– É muito fácil trocar de IP e furar qualquer tipo de trava

 

Então vamos derrubar estes mitos um por um!

 

Você não tem um IP para chamar de seu

Tudo conectado à internet tem um IP. Esta é a forma que os computadores têm de se encontrar e conversar na internet. O meu computador com IP “A” sabe que o servidor do Google fica no IP “B”, e o Google sabe que ele precisa devolver o resultado da busca de volta para o IP “A”.

 

Mas na maioria das vezes o IP não é fixo. De fato, ele muda em média uma vez ao dia! Quando você se desconecta da internet, o IP “A” fica livre para ser designado para outro computador na internet. O IP não é seu para sempre, só naquele momento.

 

Como? O IP na verdade é do seu provedor de internet (Speedy, Virtua etc). Cada provedor tem uma lista de IPs que ele controla. Quando um cliente se conecta à internet, ele pega emprestado um dos IPs deste pool. O provedor apenas empresta aquele IP para o seu computador ver vídeos de gatinhos na internet.

 

Eu não consigo saber onde você mora olhando o seu IP

Existem ferramentas que conseguem descobrir a origem e o endereço de um IP. Mas, se o IP é do provedor de internet, o endereço também é. Ao fazer a pesquisa você vai ver o endereço de quem é dono do IP, e não de quem está usando naquele momento.

 

Aqui tem uma diferença grande entre o Brasil e os EUA, e que pode ter influenciado Hollywood. Lá existem listas inteiras de IPs que são exclusivos de empresas ou órgãos públicos, dentre elas a IBM, Microsoft, Apple, Google, bibliotecas, hospitais, repartições e até prisões. Já no Brasil, o IP é do provedor de internet e pronto. Existem exceções apenas para órgãos públicos, como ministérios e fóruns.

 

Portanto, por aqui o máximo que você consegue saber olhando um IP é a cidade do provedor de internet que o usuário contratou. Como os provedores aqui cobrem uma área bem grande dos Estados, um usuário de Blumenau vai ter o IP rastreado somente até Florianópolis. Outro exemplo: um dos nossos engenheiros da Konduto mora em Campinas, mas o IP dele é rastreado para Curitiba!

Eu definitivamente não consigo saber o seu nome a partir do seu IP

Nem preciso comentar que, se o endereço não é o seu, nunca que o seu nome vai estar ligado a um IP. Então, cenas em que o rastreamento de IP traz o nome completo do indivíduo não são nem um pouco reais.

 

É muito fácil trocar de IP e furar qualquer tipo de trava

Nos tempos de dial-up (lembra?) trocar de IP era muito fácil. Bastava desconectar e discar de novo para pegar um novo IP. Agora, com as conexões DSL, o modem fica conectado diretamente ao provedor de internet, e mesmo reiniciando-o é provável que você pegue o mesmo endereço.

 

Porém, é bem fácil mascarar o seu IP original e fazer parecer que você está na China. Os proxies são intermediadores, que recebem os dados da sua máquina e repassam para frente, fazendo parecer que eles é que são a ponta final da conexão. Já as VPNs trabalham como uma “extensão” da sua conexão de casa – é como se o modem DSL estivesse em outro lugar, bem distante. Nisto Hollywood até que acertou.

 

E o que isso tem a ver com o meu e-commerce?

Qualquer empresa que tenta identificar um fraudador usando o IP como fonte objetiva está fadada a entregar resultados ruins. A análise do IP dentro de centenas de variáveis ajuda a compor um cenário, mas está muito longe de ser algo realmente importante.

 

Espero que tenha ajudado a derrubar alguns mitos sobre os endereços de IP e o que dá e não dá para fazer com eles.

 

Comentários