Dicas para combater a desistência da compra nas lojas virtuais

Dicas para combater a desistência da compra nas lojas virtuais

É bem verdade que o comércio e a prestação de serviço nunca estiveram tão em alta como nos últimos anos. Pode-se notar um consumo crescente em todas as áreas comerciais do Brasil, um exemplo disso são as vendas virtuais que faturaram, em 2010, um montante de 15 bilhões, sendo que para 2011 as previsões são de crescimento ainda maior.

 

Fatores como economia, praticidade, velocidade e objetividade são os impulsionadores do comércio eletrônico brasileiro e, sem dúvida, possibilitam que as negociações via internet conquistem altos índices anualmente. Contudo, entre as inúmeras negociações virtuais realizadas no país, nem todas são convertidas em lucros e faturamento.

 

O resultado de uma pesquisa realizada pela empresa de tecnologia Forrester Research referente às negociações feitas em 2010, apontou que 88% das possíveis vendas online não foram concretizadas, refletindo um total preocupante para o e-commerce. Mas quais são os fatores que acarretam no agravo desta porcentagem e como evitá-los?

 

Problemas frequentes como a pouca opção de formas de pagamento e os valores cobrados em frete devem ser revistos pelo lojista. No entanto, há quatro outros fatores que, na maioria das vezes, faz com que o cliente desista da compra que estava prestes a finalizar ou com intenção de efetivar. E com esses aspectos, o lojista deve estar muito mais atento:

 

Aparência: o valor da personalização

É mais do que importante ter um layout personalizado, é imprescindível. Se o cliente encontrar sua loja virtual numa rede social ou no resultado de pesquisa em sites de busca; entrar nela e notar que a mesma é “pobre” em personalização e design, certamente não terá certeza para efetivar a compra. Outra questão referente à aparência é a disposição dos produtos na loja, onde os mais importantes devem estar sempre em destaque;

 

Segurança: o carro chefe da confiança

Para evitar desistência da compra é preciso transparecer segurança ao consumidor virtual e utilizar a internet como forma de comercialização, exige isso de quem é empreendedor. Dessa forma, disponibilizar um certificado de segurança transmite ao cliente que a loja é segura e que pode lhe render grande satisfação.

 

Atendimento: a garantia do retorno

O mau atendimento ou a falta de um é responsável por grande parte das desistências em compras virtuais. O cliente precisa de alguém que o auxilie, que tire suas dúvidas e é exatamente neste ponto que o atendimento faz diferença e miniminiza o número de desistências e carrinhos abandonados.

 

Passo-a-passo: o ‘empurrãozinho’ que faltava

Se o cliente considerar difícil chegar até o final da negociação, ele simplesmente deixará o produto por lá mesmo. Para driblar este problema, facilite a vida do consumidor e apresente os passos que seu cliente deve passar para efetivar a compra. Considere a possibilidade de adicionar um contato, caso haja dúvidas.

 

Estas dicas parecem naturais, as quais todas as lojas já devem seguir. Contudo, não é assim que acontece: ainda muitas lojas virtuais deixam de converter vendas por não explorarem todos os recursos que podem levá-las ao sucesso. Por esse motivo, vale à pena fazer uma reflexão e rever os aspectos de seu empreendimento para que o número de desistências de compra em lojas online seja consideralvemente reduzido.

 

Boas e muitas vendas!

 

Comentários