E-commerce: dando vida a elementos inanimados

E-commerce: dando vida a elementos inanimados

O avanço tecnológico traz consigo as automatizações, ou seja, a troca cada vez mais latente da mão de obra humana por “máquinas”, o que vem sendo intensificado desde a última década. Os empreendimentos têm automatizado os processos interpessoais, no intuito de baratear e reduzir os custos operacionais de modo ágil e prático.

 

Em contrapartida aos benefícios, começamos a notar os efeitos colaterais evidenciados pela falta de um atendimento humanizado, pois, apesar do consumidor desejar rapidez e praticidade no serviço, o mesmo não deseja dialogar com programas, ao contrário disto!

 

Desta maneira, concluímos que o mais indicado é o equilíbrio, desde a comunicação até a logística. O atendimento humanizado é um diferencial além de uma ótima maneira de conquista e fidelização do consumidor, uma vez que o apelo pode ser emocional!

 

Um exemplo de humanização estabelecida no ambiente de uma loja virtual é, por exemplo, a disponibilização de um chat, além de outros meios de contato à vista do consumidor. Mas ainda é necessário mais! O empreendimento urge por atendentes éticos e que conheçam a fundo o ramo de atividade da loja online.

 

O apelo emocional caracteriza-se pela personalização das mensagens padronizadas na loja, por exemplo, como um artifício que visa o apelo emotivo para atrair e manter a atenção dos compradores em potencial, em conjunto às ideias e conceitos do empreendimento.

 

Em outras palavras humanizar o site é escrever de modo sentimental, ou ainda “dar vida” a elementos inanimados. Um grande exemplo disto é, ao invés de ter descrito “0 itens” no seu carrinho de compras, utilizar-se de “Seu carrinho de compras está se sentindo sozinho”.

 

Que este seja apenas um incentivo e uma dose de inspiração pra seu empreendimento. Sucesso.

Comentários