E-commerce e a Copa do Mundo de 2010

E-commerce e a Copa do Mundo de 2010

Como o e-commerce brasileiro não pára de crescer, a e-bit prevê que até o final do ano, as vendas online cheguem a ter 23 milhões de e-consumidores, um encremento de 35% no número atual. Pedro Guasti, gerente geral da e-bit, salientou que “há um enorme espaço a ser preenchido”, pela entrada de consumidores das classes C e D. Segundo a e-bit, do total de novos consumidores virtuais, 60% são das classes citadas.

 

Para o primeiro semestre desse ano, a expectativa de faturamento é de R$ 6,1 bilhões, o que representará 45% da movimentação do ano todo. Isso, porque há datas sazonais lucrativas como o Dia das Mães e Dia dos Namorados. Contudo, ainda há um evento que será importante para o crescimento do e-commerce: a Copa do Mundo de futebol, programada para iniciar em 11 de junho na África do Sul. O acontecimento fortalecerá, ainda mais, o e-commerce com o aumento expressivo na venda de produtos eletrônicos, sobretudo televisores de tela plana LCD e plasma, e artigos esportivos, acompanhando o crescimento de 145% nos pedidos já observados na comparação entre outubro de 2009 e 2008 dessa última categoria.

 

As vendas da categoria dos eletrônicos no primeiro semestre devem atingir 45% do total desse ano, pois, a média de anos sem Copa do Mundo fica na faixa de 40%. A e-bit prevê que a comercialização de televisores será puxada pela queda nos preços dos aparelhos. Guasti relembrou que o setor de comércio eletrônico, passou a contar recentemente com a participação de lojas virtuais de todas as principais redes de varejo instaladas no país, por isso as vendas online apresentam um momento de consolidação no ritmo de crescimento, cerca de 30%.

 

Quanto à projeção monetária, no Brasil, calcula-se que o e-commerce pode terminar o ano com R$ 13,6 bilhões em faturamento em vendas de bens de consumo pela internet, excluindo a venda de passagens aéreas, automóveis e leilões virtuais, 30% a mais do total referente a 2009.

Comentários