E-commerce fatura 8,4 bilhões no 1º semestre de 2011

E-commerce fatura 8,4 bilhões no 1º semestre de 2011

As vendas virtuais continuam em ampliação no cenário econômico brasileiro.  É o que revela a empresa de consultoria e-bit em parceria com a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (câmara-e.net), através do tradicional relatório WebShoppers, agora em sua 24ª edição.

 

Conforme apresentado, o e-commerce alcançou, entre janeiro e junho deste ano, um faturamento de R$ 8,4 bilhões com um crescimento de 24% em relação ao mesmo período de 2010, que além das datas comemorativas, contou com um fator muito motivador para as compras virtuais: a Copa do Mundo.

 

“No ano passado, o crescimento esteve na casa de 40% [se comparado a 2009], mas foi ano de Copa do Mundo, quando as pessoas substituíram suas TVs por modelos de tela fina”, explica o diretor de Marketing da e-bit, Alexandre Umberti. O levantamento revela, ainda, que em média 25 milhões de pedidos foram realizados durante este período, principalmente, pelo público de baixa renda, cada vez mais crescente nas negociações online.

 

Segundo a e-bit, o faturamento anual do comércio eletrônico deve alcançar a casa dos 18,7 bilhões de reais, representando um crescimento 26% maior que em 2010, onde conquistou R$ 14 bilhões. Um dos motivos para esse resultado é o crescimento de consumidores virtuais, aponta Pedro Guasti – diretor geral da e-bit: “Chegaremos a 32 milhões de pessoas que compram pela Internet no Brasil – uma penetração de 40% ou mais na população de internautas”.

 

Estima-se, ainda, que para o segundo semestre deste ano haja mais 29 milhões de pedidos motivados pela chegada do Natal, focados principalmente em eletrodomésticos, eletrônicos, artigos de moda e acessórios. Entre os eletrônicos, o diretor da e-bit revela que “os tablets devem despontar [nas vendas] deste segundo semestre”.

Comentários