E-commerce nacional cresce e influencia setores offline

E-commerce nacional cresce e influencia setores offline

O mercado virtual mantém-se em ampla e franca expansão. Além de possuir um faturamento em constante crescimento, em torno dos 20%, espera-se para o final de 2012 que um total R$ 22, 5 bilhões sejam arrecadados.

 

Embora eletrodomésticos, itens de saúde e beleza ou moda e acessórios estejam em maior evidência no ambiente virtual; outros setores, que não possuem tanta visibilidade e destaque quando o assunto é venda virtual, também têm se beneficiado através da expansão do e-commerce. Veja:

 

Impulsão no mercado de trabalho.
O fato de o Brasil estar entre os países que mais se destacam no e-commerce, tem feito o número de oportunidades de emprego para setores do mercado virtual, crescer. À exemplo disso, a empresa especializada em divulgação de vagas de emprego, Catho, informa que entre as áreas que mais contratam, se tratando de lojas virtuais, são comércio, logística, atendimento e tecnologia;

 

Impulsão no transporte aéreo.
O crescimento do e-commerce no Brasil influencia também as empresas não virtuais, como é o caso das companhias aéreas. A Gol, por exemplo, proprietária da Gollog (unidade de transporte de cargas da empresa) atribui à ampliação das vendas virtuais, o crescimento de 56% (2011) em encomendas expressas da Gollog;

 

Impulsão na venda de alimentos.
Embora seja aplicado, esse segmento não possui muito destaque diante dos demais; contudo, o crescimento do mesmo pode ser visto em nosso país. Segundo dados divulgados pela Nielsen, 55% dos consumidores virtuais compram alimentos via web; sendo este percentual maior do que a média dos países da América Latina, onde 42% dos e-consumidores adquirem mantimentos pela internet.

Comentários