Fraudadores acordam tarde e adoram usar Windows e Google Chrome

Fraudadores acordam tarde e adoram usar Windows e Google Chrome

Você saberia dizer qual o período do dia em que há mais tentativas de compras fraudulentas na internet? E qual o dia da semana em que a atividade dos criminosos se intensifica?

 

Uma amostragem de 10 milhões de transações realizadas entre 1º de janeiro e 30 de junho de 2016 serviu para a criação do relatório Raio-X da Fraude no E-commerce Brasileiro. O material, que tem o objetivo de ajudar lojistas on-line a compreender melhor o problema do golpe de cartões de crédito clonados, coletou informações sobre o comportamento de navegação de consumidores e de fraudadores durante a jornada de compra na internet para a realização do estudo.

 

O relatório revela um hábito importante sobre este tipo de criminosos: eles ficam acordados até muito tarde e não gostam de começar a agir antes do meio-dia. O “expediente” destes criminosos normalmente começa às 17h e termina por volta das 3h. Este período de dez horas corresponde a mais de 63% das tentativas de fraude ao longo do dia, sendo o auge da atividade entre 22h e 1h, quando ocorrem 21% das tentativas.

 

Por outro lado, o período matinal é o que possui menos tentativas de fraude: menos de 8% dos pedidos de origem criminosa são feitos entre 5 da manhã e meio-dia. Para se ter uma ideia, as vendas legítimas na internet se intensificam a partir das 10h e atingem o pico às 20h.

 

E quanto aos dispositivos utilizados para as tentativas de compras fraudulentas? Os dados revelam que fraudadores não se diferenciam muito da população brasileira em geral: os criminosos têm preferência por usar computadores com Windows e navegar com o Google Chrome.

 

Quase 80% das tentativas de fraude feitas em computador têm como origem um computador com o sistema operacional da Microsoft, enquanto cerca de 6 a cada 10 compras criminosas partem de um navegador Chrome – proporções muito maiores em comparação com as vendas legítimas.

 

No entanto, é possível ver a crescente de compras fraudulentas feitas em dispositivos mobile: de acordo com o relatório, 19% das transações ilegais partem de smartphones ou tablets, e a tendência é que este número aumente bastante nos próximos semestres.

O que estes dados representam?

Hoje em dia, a taxa de tentativa de fraude na internet é de 3,83%: ou seja, 1 a cada 26 pedidos on-line é feito por estelionatários utilizando cartões clonados. Este é um crime amplamente difundido, apesar de ainda muito pouco combatido no mundo inteiro.

 

Para piorar, estes criminosos têm fácil acesso a dados cadastrais de bons compradores e um alto conhecimento de informática. E isso torna ainda mais difícil a tarefa de uma loja virtual em diferenciar vendas boas de vendas que poderão se tornar um chargeback no futuro.

 

Um fraudador, porém, se revela pela maneira como navega em um site ou em um aplicativo mobile – de um jeito muito diferente em comparação a um bom cliente. Confira você mesmo no relatório, disponível para download gratuito no seguinte endereço: ebooks.konduto.com/raio-x-da-fraude.

 

 

Comentários