Moda ocupa posição de destaque, diz e-bit

Moda ocupa posição de destaque, diz e-bit

Pesquisas realizadas recentemente pela e-bit foram reveladoras no que se refere à mudança no comportamento do e-consumidor brasileiro.

 

Dados extraídos desta análise apontaram que o comércio eletrônico voltado à moda e acessórios obteve uma disparada e do 26º lugar passou a ocupar a quarta posição no ranking dentre os segmentos varejistas que mais vendem no âmbito digital! Esses dados de extrema relevância para o mercado, pois demonstram claramente o aumento de confiança e segurança do internauta frente às lojas virtuais.

 

O mercado voltado às tendências de moda, sem dúvidas, é um ambiente de crescimento contínuo e promissor. A exemplo disto, as pesquisas que sugerem um comparativo, indicando que, enquanto o e-commerce em sua totalidade cresceu 25%, a indústria da comercialização online de moda atingiu o percentual de 40%!

 

Isto se dá, porque consumidores começaram a comprar com mais garantia dando maior credibilidade a este meio. As marcas têm empenhado esforços para derrubarem o tabu de que “comprar roupas online pode ser um erro”, já que não há um padrão preestabelecido quanto ao tamanho dos manequins, podendo variar de uma marca para outra, bem como das confecções.

 

Entretanto, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) já tem estudado o caso, visando a unificação dos critérios relacionados aos padrões de manequins em todo território nacional. Enquanto estas medidas não são aprovadas e aplicadas, cada loja virtual determina a medida de suas confecções de acordo com uma tabela exposta no site.

 

A praticidade de adquirir uma peça de roupa ou um acessório online é evidente, outro fator que atrai à compra destes itens é a política de trocas e devoluções das mercadorias, que muitas vezes é mais expressa e não burocrática. Para saber mais a respeito de uma política de trocas e devoluções adequada, basta clicar aqui.

Comentários