Pagamento recorrente: motivos para adotar um

Pagamento recorrente: motivos para adotar um

Quando falamos de pagamento recorrente, o exemplo abaixo é essencial:
Foi-se o tempo em que era necessário ir até uma locadora de vídeos para pegar um filme. Hoje, basta assinar um serviço de streaming e ter acesso a um grande e variado catálogo, sem sair de casa.

 

Com a tecnologia, os serviços de uso frequente atingiram outro patamar. É assim com aplicativos de música e clubes de assinatura de produtos que vão dos vinhos até fraldas.

 

A comodidade e a conveniência são fatores importantes na vida cotidiana. A tendência é que, cada vez mais, novas opções de serviços por assinatura sejam oferecidas no mercado, o que exige atendimento contínuo e pagamento com periodicidade predefinida, seja mensal, trimestral, anual…

 

Nessa categoria, podemos incluir também as tradicionais assinaturas de jornais e revistas, mensalidades escolares e de outros cursos, taxas de condomínio e por aí vai. De acordo com a consultoria Gartner, em 2020, mais de 80% dos fornecedores de software mudarão seu modelo de negócios, de licença e manutenção tradicionais para assinatura. O que vai alterar também o formato de cobrança, que poderá ser feita por prazo de validade ou limite de uso, dependendo da complexidade do produto.

 

Quais as vantagens do pagamento recorrente?

O modelo de assinaturas é bastante visado quando se pensa que a base de clientes ou assinantes é valiosa, que foi duramente conquistada e resultou em contratos predefinidos de tempo e que agora podem ser fidelizados, para que não haja perda e o negócio se sustente. Além de já ter um fluxo de receita previsível, outra meta se baseia em conquistar novos usuários para ajudar a garantir o crescimento e alcançar uma etapa que possibilita trazer melhorias, já que permite um ciclo de desenvolvimento mais ágil.

 

As soluções de pagamentos recorrentes trazem mais praticidade, economizando outros meios e trazendo maior integração. Com uma plataforma digital que pode facilmente ser implantada na empresa, o departamento de cobranças pode se organizar de maneira mais eficiente. O cliente fica cadastrado com suas informações bem como o cartão em que o débito será feito, num formulário preenchido pela loja, seja ela física ou online. E é possível programar avisos e cobranças, sem a necessidade de desenvolver um sistema próprio para pagamento recorrente.

 

Grandes empresas já usam o pagamento recorrente

Grandes empresas estão impulsionando as assinaturas no Brasil e na América Latina, criando novos hábitos de consumo. E não só para serviços B2C. A modalidade pode atender de forma eficaz as necessidades B2B, à medida que permite gerenciar o fluxo de caixa com maior segurança, evitando a ocorrência de fraudes, inadimplência ou cancelamentos de pagamentos e isso não seria possível sem o pagamento recorrente.

 

O pagamento recorrente é vantagem para o consumidor final

Para o consumidor final, o pagamento recorrente oferece de benefício ter um fornecimento garantido e sem preocupação. Basta fechar a assinatura e o serviço fica disponível até o término do período contratado. É possível optar pelo pagamento recorrente, cobrado diretamente no cartão de crédito, evitando filas e o risco de esquecer o boleto e perder o prazo, o que gera multa e juros. Mas claro, se ainda for a preferência, o formato em papel com código de barras não precisa ser dispensado.

 

O pagamento recorrente trata-se de uma maneira rápida e automatizada de atender uma demanda crescente, de forma direcionada, aproveitando a oportunidade em diversos setores em ebulição. E você? Já pensou em mudar o seu modelo de cobrança?

 

Comentários