O e-commerce em 2011

O e-commerce em 2011

Não há dúvidas de que em 2010 o comércio eletrônico bateu todas as expectativas previstas desde o início do ano. E novamente, traçam-se novas perspectivas para as negociações virtuais. A Camara-e.net estima para 2011 o crescimento de 35% em relação ao ano anterior.

 

É certo que além do crescimento estimado, o e-commerce pode alcançar maiores índices de faturamento caso fatores externos como o aumento do acesso à banda larga e a oferta de crédito entrem em cena. Outra questão que pode ampliar as vendas online é a chegada não só da classe C ao e-commerce, mas também das classes D e E.

 

A segurança online atrai muitos visitantes e curiosos para o comércio eletrônico. Estes conhecem o perfil das lojas, acabam gostando e se tornando clientes virtuais. Questões como a comodidade na hora da compra, valores mais baixos em relação ao varejo tradicional, a possibilidade de mais parcelamentos e o avanço logístico refletem no e-comerce maiores perspectivas de expansão para este ano.

 

O faturamento anual no comércio eletrônico tem obtido aumentos memoráveis. Passou de R$ 0,54 bilhão em 2001, para R$15 bilhões em 2010. Podendo ultrapassar os R$ 20 bilhões, agora, em 2011. Na América Latina, o Brasil continua dominando e crescendo com as negociações online. O ano está apenas começando para o e-commerce brasileiro.

 

Comentários