Fraudes no e-commerce: tipos de fraudes no e-commerce

Fraudes no e-commerce: tipos de fraudes no e-commerce

É muito comum, infelizmente, ouvir falar sobre fraudes no e-commerce. Esse assunto assusta tanto lojistas como consumidores e, diante desse cenário assombroso falaremos, hoje, sobre as diferenças entre fraudes e como é possível manter seu e-commerce seguro para o bem da própria operação, e para a segurança do consumidor virtual.

 

Fraude efetiva no e-commerce

Esse é o tipo de fraude no e-commerce mais recorrente. Caracteriza-se quando alguém clona um cartão ou rouba os dados de alguém para realizar uma negociação e receber o produto no lugar da pessoa que teve seus dados furtados. Como no momento da compra, o usuário mal-intencionado tem todos os dados necessários, o processo acontece sem qualquer problema.

 

No entanto, quando o titular do cartão recebe a fatura e vê lançada uma compra que ele não realizou (normalmente de alto valor), ele entra em contato com a administradora do cartão e questiona o lançamento, alegando não reconhecer aquela compra, gerando imediatamente o temido chargeback. O resultado é: lojista sem o produto e sem dinheiro da venda.

 

A auto-fraude no e-commerce

Este tipo de fraude acontece quando o próprio dono do cartão realiza a compra e recebe o produto, mas até 180 depois ele contesta essa negociação, alegando que não comprou; normalmente, esta é uma atitude feita por má fé. Infelizmente, é uma situação muito comum e que não tem como ser identificada pelo gestor de e-commerce.

 

Para promover a segurança dos e-commerces, as administradoras de cartão de crédito passam a monitorar a ação de clientes que possuem o hábito de contestar negociações com frequência para que novas tentativas de compras sejam bloqueadas.

 

Fraude amiga no e-commerce

A fraude amigável acontece quando alguém próximo ao titular do cartão, conhecedor de senhas e dados bancários, realiza uma compra, mas não avisa que a mesma foi efetuada. O titular do cartão, ao receber sua fatura, e não reconhecendo que fez determinada compra irá contatar a administradora do cartão e rejeitar a compra, gerando também um chargeback.

 

Essa ação, também, é comum na realidade do e-commerce; sendo igualmente difícil de identificar. Contudo, em muitos casos, o titular do cartão passa a reconhecer a compra após a loja virtual contatá-lo e ele mesmo descobrir quem foi o agente que efetivou a compra.

Sobre o chargeback…

Vale considerar o conceito de chargeback: o cancelamento de uma venda feita com cartão que acontece especialmente quando uma negociação não é reconhecida pelo titular do cartão. Trata-se de um instrumento de segurança para o consumidor, para que o mesmo não seja lesado ao ser cobrado por algo que verdadeiramente não adquiriu. Após o contato do consumidor com a administradora do cartão, esta contatará a loja virtual para que a cobrança seja desfeita por parte do empreendimento.

 

Como proteger minha loja virtual de fraudes?

Um ponto muito importante para proteger seu e-commerce de fraudes é estar preparado e manter a calma quando um chargeback chegar. Filtrar os produtos e pedidos mais caros, por exemplo, e atentar-se às situações em que os pedidos chegam com os dados repetidos, especialmente dados de endereço de entrega e telefone para contato.

 

E, obviamente, para prevenir que sua loja virtual fracasse por causa das fraudes, tenha um sistema antifraude. Escolha o parceiro ideal para garantir que as negociações aconteçam de forma segura para seu e-commerce e para o seu consumidor.

Comentários