Se você não investir em MOBILE agora, se odiará depois

Se você não investir em MOBILE agora, se odiará depois

Já diz aquele ditado: “quem avisa amigo é…” e, neste artigo, nós falaremos um pouquinho sobre mobile. Por isso, considere o nosso título, e continue a leitura.

 

Ser mobile-friendly não é mais um diferencial para uma loja virtual. Todo o mercado virtual é omnichannel, e os consumidores já esperam que esse fator esteja incluso em sua experiência com a loja virtual.

 

Por exemplo, ao navegar no aplicativo do Facebook, e ver um anúncio da sua loja, o potencial consumidor espera clicar e ir direto para um ambiente mobile. Quando esta pessoa é direcionada para um ambiente de navegação sem as condições ideais para a conclusão da compra, certamente, não voltará.

Há quem argumente que as negociações via dispositivos móveis, ainda, são inexpressivas para o e-commerce. Contudo, os dados do mercado virtual mostram um cenário bastante diferente e promissor. Veja só:

 

Nas negociações para o Dia das Mães, neste ano de 2016, dos 4 milhões de pedidos realizados, 20,2% foram feitos através de smartphones e tablets. No total, foram 816 mil encomendas, um índice 100% maior do que em 2015, quando foram registrados 407 mil pedidos.

 

Já no Dia dos Namorados, também neste ano, os números via mobile foram muito representativos. Representando 18,8% das negociações, as vendas móveis foram responsáveis por mais de 761 mil encomendas. O faturamento advindo deste canal atingiu R$ 281,5 milhões, com um ticket médio de R$ 369.

 

Sobre esse crescimento de acesso e conversão mobile, Pedro Guasti, CEO da e-bit, destaca: “Identificamos mais uma vez a evolução das compras realizadas por meio do mobile, cuja participação foi significativa dentro do total de pedidos, o que tende a crescer ainda mais à medida que os comerciantes se atentarem à investirem em sites responsivos e apps”.

 

As negociações via mobile estão em EVOLUÇÃO. Isso significa que não há mais motivos para duvidar de sua eficácia; é preciso investir e fornecer ao consumidor uma experiência completa com sua loja virtual, no canal que ele escolher comprar. Escute esse conselho: Se você não investir em mobile agora, se odiará depois.

 

Sucesso!

 

Comentários