‘Showrooming’: bom ou ruim para o meu e-commerce?

‘Showrooming’: bom ou ruim para o meu e-commerce?

O ‘showrooming’ acontece quando um consumidor vai até uma loja física em busca de um produto que ele já conhece. Ele vai para ver, pegar, firmar sua decisão de compra, mas não compra ali. Ele volta para sua casa e pede em algum comércio eletrônico.

 

Isto tem sido cada vez mais comum, mas será que é apenas ponto positivo para o e-commerce? A GroupM realizou uma pesquisa em 2012 e constatou que 45% dos consumidores trocariam a loja física para comprar online, caso encontrassem um desconto de 2,5%, 60% trocariam por uma diferença de 5% e 87% optaria por um e-commerce com um desconto de 20%.

 

Está claro, então, que o fator determinante na escolha do consumidor está no preço. Mas existem outros pontos importantes. Ao chegar a uma loja, o cliente precisa saber lidar com sua ansiedade. Muitas vezes, a necessidade do produto ou a simples sensação de urgência ao ter o contato com o produto faz com que ele compre ali mesmo, na loja física, sem contar que há a desconfiança em relação ao estoque do e-commerce em que ele está consultando.

 

De qualquer forma, segundo o ClickiQ, 45,9% das pessoas entrevistadas que compraram nos últimos seis meses, coletaram informações em lojas físicas antes de completar a negociação no e-commerce.

 

A dica, então, é precificar de forma inteligente, sem prejuízos pela pressão do mercado, pensar ainda mais em benefícios como o frete grátis, promoções e descontos ou mesmo investir no contato visual do produto e em uma descrição rica e bem elaborada, aumentando as chances de um checkout imediato. Vale a pena, ainda, deixar que o cliente veja quantos itens você tem em estoque, é uma maneira de ser transparente e útil ao seu consumidor.

 

Boas vendas!

Comentários