Bolinha de gude

Existem vários jeitos diferentes de jogar, mas a base de todos é tentar acertar bolas nas áreas delimitadas (linhas, círculos, buracos) e nas dos adversários, podendo conquistá-las para si ou não. Depende se os participantes combinaram de jogar para valer, ou seja, concordando em perder as bolinhas se for o caso (“à vera”, “à ganhe”) ou se no fim do jogo cada um volta para casa com as mesmas bolinhas que levou (“à brinca”, “à brinques”).

Veja alguns dos jeitos mais populares de brincar com bolas de gude.

Triângulo
Desenhe um triângulo no chão e coloque três bolinhas de cada jogador dentro. Em alguns países e Estados do Brasil, as crianças desenham círculos. Os jogadores têm o objetivo de “matar” as bolinhas dos adversários. Para isso, jogam uma bola contra a do adversário, tentando tirá-la de dentro do espaço, usando uma das suas para “tecar” (acertar de leve) as do outro e tirá-las do espaço delimitado. A bola que ele jogar não pode ficar dentro do triângulo, senão ele perde a vez. Ganha quem conquistar o maior número de bolas.

 

Mata-mata
É a mais simples das modalidades: cada jogador deve tentar acertar a bolinha jogada pelo anterior e, assim, ganhá-la para si. O jogo começa com uma bolinha grande colocada no chão, em espaço livre. O primeiro jogador tenta acertá-la, o segundo mira a bolinha do primeiro e assim por diante. O jogo só acaba quando os participantes quiserem.

Lóca
Faça um buraco no chão. De uma distância de aproximadamente 3 metros, cada jogador deve tentar “enlocar” a bolinha (acertá-la no buraco). Quem conseguir, ganha um bola de cada jogador. Quem errar vai para o fim da fila. Ganha o jogo quem conquistar mais bolas adversárias.
Búlica, borroca ou três covinhas

 

Faça três buracos (borrocas) em linha no chão de terra com uma distância de cerca de 2 metros entre cada. Para decidir quem começa, cada participante joga uma bolinha em direção à última borroca e ganham preferência os que chegarem mais perto.

 

O jogador começa lançando uma bola em direção à primeira borroca. Se errar, passa a vez para o próximo. Se acertar, tenta novamente, mirando a segunda borroca dessa vez, ele continua jogando se acertar dentro ou se a bolinha cair a menos de um palmo de distância. Se acertar uma bolinha adversária no caminho e afastá-la do alvo, melhor ainda.

 

O objetivo é acertar as três borrocas em seqüência, na ida e na volta. Quando acertar a primeira borroca pela segunda vez, ele ganha o direito de “caçar” as bolinhas dos adversários. Isso significa que as bolinhas que ele acertar com a sua ficam para ele.

Curiosidade envolvendo bolinhas de gude e e-commerce

O pequeno Harli Jordean, que vive em Londres, aos 8 anos ficou rico vendendo bolinhas de gude na internet. Além de brincar com as bolinhas, o empreendedor mirim viu as vendas crescerem em um ritmo alucinante, tanto que precisou empregar a mãe e os dois irmãos mais velhos no negócio.

Segundo o site Hypeness, “Tudo começou quando um grupo de colegas mais velhos roubou a coleção de Harli. Aí ele tentou reconstruir a coleção comprando na internet e percebeu que a oferta era quase nula. Desde essa altura, Harli aprendeu a lidar com fornecedores, pedidos e entregas, visto que as solicitações vinham até da América (onde não deve haver falta de bolinhas de gude). O sonho deste pequeno empreendedor é agora construir a maior loja de bolinhas do mundo.”

Veja o site em  http://www.marbleking.co.uk/

Como as bolinhas de gude são fabricadas?